Compartilhar para transformar


Universo é tudo o que existe fisicamente, a soma do espaço e do tempo e as mais variadas formas de matéria, como planetas, estrelas, galáxias e os componentes do espaço intergaláctico.
Vejo que cada aluno traz um universo dentro de si, infinito em possibilidades e repleto de encantos e a cada dia podemos encontrar um novo mundo com seu conhecimento, habilidade e jeitinho, seja ele tímido, inquieto, criativo, amigo, divertido entre outros. Cada um é fruto de todas as suas experiências e percepções do mundo, onde seu universo, interage com tantos outros em uma sala de aula.

Partindo do princípio onde tudo praticamente está conectado, interligado e relacionado, comecei a trabalhar de forma mais efetiva com a colaboração, compartilhamento e protagonismo em sala de aula. Percebi que aprendem melhor coletivamente e que vale colocar os alunos para trabalhar em equipes, organizar atividades de monitoria e claro, experimentar ambientes virtuais que potencializam a interação entre estudantes, professores e comunidade.

A aprendizagem colaborativa não está restrita ao uso da tecnologia digital, porém, potencializa esse processo e analisando isso, vejo o quanto essas crianças têm  a ensinar e como essa prática desperta em cada um a vontade de solucionar problemas e construir um mundo menos desigual.

Uma das minhas maiores alegrias como educadora é ver meu/minha aluno(a) feliz em ter sua vez, seu espaço e poder compartilhar com os demais o que sabe. Assim como as estrelas, os(as) alunos(as) brilham, pois existe uma queima de combustível em seu interior fazendo que seus corpos emitam grande quantidade luz em todas as direções. Mas esse brilho varia também com a distância que nós estamos das estrelas, quanto mais distante, mais fraco será seu brilho.

Que tal ficarmos cada vez mais próximos dessas estrelas que estão na sala de aula para que este brilho ilumine cada vez mais todo nosso Universo?